Desenvolvido pela Le Cartel Studio e distribuído pela Devolver, Heave Ho traz uma experiência diferente para um jogo multiplayer: simples na jogabilidade, sem modo online e focado totalmente na colaboração entre os jogadores. Será que foi uma boa ideia unir tudo isso em um pacote só?


Ficha Técnica

Título: Heave Ho

Plataforma: Nintendo Switch

Tamanho: 470 MB

Desenvolvedora/Publicadora: Le Cartel Studio / Devolver

Jogadores: até 4 jogadores

Em Português: Sim

Gênero: Ação, Plataforma, Estratégia

Save na Nuvem: Sim

Classificação: Livre


No momento em que bati o olho em Heave Ho eu só pensei em versões 2D de jogos como Gang Beast ou Human Fall Flat, mas fui surpreendido por um fator interessante. É claro que há mecânicas parecidas, como a progressão por fases e os controles para se agarrar ao companheiro, porém Heave Ho exige muito mais trabalho em equipe. Ao contrário dos outros títulos, aqui não é tão divertido atrapalhar o seu colega.

Você pode estar pensando que um jogo de Party perde muito do seu brilho sem a graça de sacanear outros players, mas, em contrapartida, essa cooperação realça três pontos importantes de Heave Ho: a necessidade de dominar os controles, o design de fases e a satisfação ao atingir o objetivo juntos. Mas antes, vamos explicar rapidamente como flui a jogabilidade em Heave Ho.

Entendendo o jogo

O conceito de Heave Ho é bem simples: todos os jogadores precisam alcançar o final da fase para completá-la. Há um total de 9 mundos temáticos, composto cada qual por um conjunto de fases, e, ainda, cada mundo tem a sua versão “hardcore”.

A jogabilidade também é simples de entender, já que o personagem só se movimenta com o analógico esquerdo e usa os gatilhos R e L, que representam cada um uma das mãos do seu personagem de forma individual, para segurar nos outros jogadores e nos diversos elementos da fase.

As imagens já mostram que os “bonequinhos” em Heave Ho não têm corpo, são formados apenas por cabeça e braço. Então, a cooperação é importante até para se movimentar.

A referência dos braços com os gatilhos às vezes confunde. Isso porque o personagem está a todo momento rodopiando pela tela, enquanto os gatilhos, obviamente, estão fixos nas mãos do jogador. E o jogo também não atrela o braço direito com o gatilho direito. Porém, é possível ativar o modo assistência, que exibe qual gatilho controla cada braço e ainda diferencia-os pela cor.

O jogo também incentiva os jogadores a conseguirem as moedas de cada fase. É possível habilitar diversas skins secretas, inclusive de outros jogos distribuídos pela Devolver, como Gato Roboto, The Messenger e My Friend Pedro.

Já deu pra perceber que jogar Heave Ho sozinho não tem muito sentido. Ainda assim, há um modo solo com as mesmas fases do multiplayer, mas que deixam a desejar no quesito diversão. Arrisco dizer que o modo solo serve mesmo só como um tutorial das fases.

Um experimento social

Uma das melhores coisas em Heave Ho é a possibilidade de jogar com diferentes tipos de pessoas. Dos jogadores mais casuais até os mais experientes, o jogo consegue colocar todos no mesmo nível. Até o caos de confundir as mãos ou errar na física acabam sendo divertidos.

Jogar com pessoas desconhecidas também é algo interessante em Heave Ho. Isso porque o jogo exige uma comunicação entre os jogadores e o mínimo de confiança para “ninguém soltar a mão de ninguém”. Além, é claro, de ser um ótimo meio para quebrar aquele gelo na reunião de amigos.

Heave Ho também consegue ser acessível para diferentes idades. Uma criança que tenha a noção básica em videogames se sairá muito bem e, às vezes, até melhor que o adulto que zerou Dark Souls inúmeras vezes.

Todas essas características mostram o quanto Heave Ho consegue ser simples e completo ao mesmo tempo, sempre seguindo a proposta de um cooperativo de sofá.

A trindade do bem de Heave Ho

Para chegar nesse nível de acessibilidade, surpresa e diversão, há de se destacar três elementos de Heave Ho, e o primeiro que percebemos é o domínio dos controles. Nem sempre um jogo precisa ser fácil para ser acessível, então para introduzir o desafio de uma forma confortável, Heave Ho fez um ótimo trabalho ao ensinar o jogador. Além do simples tutorial a cada nova partida, o próprio gameplay vai te ensinando a cada erro, pois não é divertido ficar morrendo toda hora e ter como punição a perda do seu progresso naquela fase.

Ao contrário de jogos casuais em que você só precisa curtir e relaxar, em Heave Ho as suas escolhas tem uma consequência para o grupo. Você não quer que o esforço de todos seja comprometido por sua culpa, certo? Então é preciso se atentar a cada movimento e aprender, minimamente, como o jogo funciona. Isso tudo é feito de uma forma muito natural.

Esse aprendizado e necessidade de atenção com o gameplay nos leva ao segundo ponto interessante de Heave Ho: a construção de cada fase. A jogabilidade no começo possui uma curva de dificuldade muito suave, mas o que mais chama a atenção é o quanto os elementos das fases podem proporcionar soluções diferentes – e é muito divertido explorar isso.

Exemplo: uma fase pode ter diversas plataformas que possibilitam os jogadores avançarem “normalmente” para completá-la, mas também é possível terminar a mesma fase de outras formas, às vezes se lançando para chegar mais rápido ou explorando outro caminho. Na maioria das fases há um “jeito certo” para alcançar a linha de chegada, o que exige um planejando em conjunto antes de qualquer ação, mas isso não é regra.

Todas as fases são construídas baseadas no número de jogadores ativos naquele momento, ou seja, a distância entre as plataformas são maiores quando há 4 jogadores na tela e menores quando há apenas 2. Então, o próprio design da fase te deixa dependente dos outros jogadores e evidencia que Heave Ho perde muito do seu sentido se for pensado de uma forma individual.

A cada novo mundo são apresentadas diversas novidades e desafios. Há o mundo da caverna onde apenas alguns lugares das fases são iluminados; há o mundo da floresta onde você precisa acertar o tempo para agarrar nos cipós; há fases onde as plataformas alternam os obstáculos. Na maioria das fases também há moedas e a possibilidade de desafios bônus. Esses fatores colaboram para o jogo não se tornar maçante e igual o tempo todo.

Podemos dizer que todas essas qualidades se encontram no último fator a se destacar em Heave Ho: a satisfação ao atingir o objetivo em grupo. Essa é a principal característica que faz de Heave Ho um cooperativo do bem. Mais do que ajudar seus companheiros para progredir no jogo, você precisa que eles também terminem a fase. Então, não vai adiantar chegar sozinho no final se o seu parceiro estiver travado em algum ponto.

Além disso, o jogo traz outros desafios que precisam ser pensados em grupo, como o posicionamento correto para pegar moedas ou os espaços onde os 4 jogadores, por exemplo, precisam se dividir em dois grupos para progredirem.

Quando a “obrigatoriedade” de colaborar com o seu grupo flui de maneira natural igual acontece em Heave Ho, momentos inesperados e divertidos acontecem no gameplay e cada fase completada é motivo de comemoração. É a sensação ideal para um jogo cooperativo.

Veredito

Não há muito o que pensar na hora de decidir por Heave Ho: tem costume de jogar em coop? Heave Ho é obrigatório.

Baseado nessa proposta, o jogo consegue entregar o que promete e com muito conteúdo adicional. Heave Ho só não é recomendado para aqueles que estão em busca de uma experiência single player ou que preferem um coop competitivo ou online. Nesses casos, o jogo perde todo o sentido.

Para ajudar a convencer aqueles que ainda estão em dúvidas sobre Heave Ho, o jogo está saindo por apenas U$ 9.99 na eShop americana (ainda não está disponível na eShop BR) e, por ser um jogo da Devolver, tem grandes chances de entrar em algumas promoções. Ainda não se convenceu??? é possível experimentar Heave Ho através de uma demo grátis para PC.

Além dos ótimos momentos sociais que Heave Ho pode proporcionar, o jogo se torna peça chave para qualquer reunião entre amigos. O cardápio principal para qualquer festinha agora é “Comes, bebes e Heave Ho”.


Trailer do Jogo


Este review foi feito utilizando uma cópia enviada pelos produtores.