Nós já falamos aqui algumas vezes sobre acessórios da Big N, inclusive um que deu tão errado que criou uma concorrência gigante (o Playstation – leia aqui). Hoje, o post não é tão diferente e traremos um novo acessório fracassado da Big N: o Nintendo 64DD.

O começo….. do fim

Tudo começou em 1995, quando a Nintendo – um ano antes do lançamento do seu novo console – anunciou que estava trabalhando no Nintendo 64 Disk Drive (DD). Em 1996 o Nintendo 64 foi lançado e somente em 1997, Miyamoto deu mais detalhes do sistema que estaria por vir. Na ocasião, elencou vários jogos que utilizariam o novo sistema Nintendístico, sendo que alguns desses jogos nunca viram a luz do dia.

Somente em 1999, três anos após o lançamento do console, é lançado o acessório no Japão. Como você deve imaginar, foi um fracasso total. Aliado ao fracasso comercial do N64 no mundo (PS1 reinou absoluto naquela geração), o novo acessório falhou ao trazer um hardware defasado e uma ideia que não foi comprada pelos consumidores. Em 2001 ele foi descontinuado, antes mesmo de chegar ao ocidente.

Um acessório à frente do seu tempo

O Nintendo 64DD funcionava conectado na porta EXT (que ficava na parte inferior do console), o que deixava o N64 bastante esquisito e grandão. Usava um disco que era regravável no qual os usuários poderiam criar novos conteúdos para os jogos que fossem compatíveis. A ideia era que você, jogador, pudesse alterar músicas, gráficos, cenários, pistas, e tantas outras coisas para gerar longevidade ao seu game preferido. Seria mais ou menos o que chamamos de MODs (muito comuns em jogos de PCs) ou o que veio anos e anos depois com jogos como, por exemplo, Mario Maker e Little Big Planet.

O dispositivo ainda acessava uma rede da Nintendo chamada RANDnet para poder compartilhar suas criações com os amigos ou até mesmo fazer campeonatos. Reconhece um padrão atual? Estamos falando de 1999.

1) Porta EXT; 2) Nintendo 64DD; 3) Kit Nintendo 64 com o Disk Drive.
A ideia era promissora. No entanto, na ânsia de inovar, a Big N pecou ao não analisar se o mercado estaria preparado para tal inovação. Lembro de uma palestra (ou algo do tipo) que o Steve Jobs deu uma vez, ocasião em que mencionou que o projeto do primeiro iPhone estava engavetado há anos e não foi lançado pois não era o que o mercado queria ou poderia querer naquele momento. O conceito do N64DD era ótimo, mas a execução de todo o projeto foi ruim e o público não comprou a ideia, pois não era o que ele queria naqueles anos. A internet ainda engatinhava e não tínhamos a facilidade de hoje. Resumindo: era o dispositivo certo, construído errado e na época errada.

A procura foi tão baixa que a Nintendo criou um sistema de assinaturas na tentativa de desencalhar o produto e tentar diminuir a perda financeira (não só de fabricação, mas de pesquisa também). Porém, mesmo com todas as tentativas, a história nos conta (e contra fatos não há argumentos) que este foi um tombo gigante, ou como diriam os antigos: “foi um passo maior que a perna”. Porém, se há algo que o tempo nos mostrou é que a Nintendo sempre busca inovar em algo, mas arriscar nem sempre traz resultados. Entretanto, eu prefiro que arrisque sempre do que continuar no marasmo que a indústria está, sempre com mais do mesmo.

É isso pessoal, essa foi a curiosidade que eu preparei para vocês hoje. Você conhecia? Não conhecia? Deixe suas opiniões nos comentários!