Desenvolvido pela Feral Interactive e publicado pela Codmasters, Grid Autosport ou apenas Grid para os íntimos, chegou ao Nintendo Switch em setembro de 2019 com uma proposta ambiciosa em um mercado repleto de concorrentes de peso e uma legião de jogadores exigentes.

Quando tive a oportunidade de ver algumas imagens do game rodando fiquei com a impressão de que era impossível tamanha qualidade gráfica com bom desempenho no console híbrido da Nintendo.

Fiquei extremamente feliz com a oportunidade de preparar esse Review e finalmente descobrir se Grid realmente está à altura dos seus concorrentes mais famosos (Forza e Gran Turismo).

Então chega de enrolação e vem comigo descobrir se Grid consegue pisar fundo se mantendo relevante em um cenário tão bem representado ou se o combustível acaba na reta final colocando tudo a perder.

É ou não de cair o queixo?

Ficha Técnica

Título: Grid Autosport

Plataforma: Nintendo Switch

Tamanho: 6.4 GB

Desenvolvedora/Publicadora: Feral Interactive / Codemasters Software Company Limited

Jogadores: 2

Em Português: Sim

Gênero: Corrida / Simulação

Save na Nuvem: Sim

Classificação: Livre

Preço no Lançamento: US$ 34.99 (eShop EUA)


Simulação Acessível

Antes de mais nada é preciso deixar claro que Grid não é um jogo de corrida Arcade onde você pode fazer curvas perfeitas acima dos 300 Km/h sem nenhuma consequência. Longe disso, Grid é um jogo de simulação onde velocidade, ponto de freada, inercia e todas as outras leis da física devem ser respeitadas. Travar os freios com a volante esterçado em alta velocidade numa curva, por exemplo é receita certa para rodar na pista.

Contudo não se assustem. A proposta de Grid é que o jogo deve ser acessível a qualquer jogador independente da habilidade ou familiaridade com jogos de corrida. A dificuldade pode ser ajustada de maneira simples pelo jogador e quanto mais fácil o nível escolhido, mais assistências automáticas como controle de tração, assistente de frenagem, guia de trajeto etc. são ativadas, deixando o ato de pilotar agradável para todos os públicos. É possível até mesmo definir que os danos causados por batidas durante uma corrida sejam ignorados tornando o efeito apenas estético no carro.

Vale ressaltar que a opção de retroceder também está disponível em diversas opções de dificuldade. Com ela é possível voltar um curto período de tempo após uma batida ou derrapagem para tentar novamente a manobra de forma limpa.

É óbvio que tudo isso tem um preço. Quanto mais fácil o jogo é configurado menos pontos de experiência o jogador ganha ao final de cada corrida. Falaremos disso um pouco mais frente neste Review.

Durante todo o meu tempo de jogatina utilizei a dificuldade normal que me proporcionava um bom equilíbrio entre dirigibilidade, desafio e ganho de XP. Confesso que a experiência foi extremamente agradável. Em nenhum momento pensei em alterar a dificuldade.

Corrida Noturna? Sim Temos!

Uma Carreira Vitoriosa e Muito Mais

Grid conta com um modo carreira muito consistente e é o principal modo de jogo. Nele o jogador representa um piloto em começo de carreira buscando por oportunidades em equipes famosas disputando campeonatos ao redor do mundo dividido em diferentes categorias: Turismo, Enduro, Open Wheel, Tuner, Street e Grid.

A cada temporada o piloto escolhe uma categoria e uma equipe para representar. As equipes são formadas por marcas reais e famosas como: Razer, Intel, Oakley etc. Cada uma delas tem objetivos e recompensas em pontos de experiências diferentes. Por exemplo: correr pela Oakley pode ter como objetivo terminar determinado campeonato pelo menos em quinto lugar e te dá 2000 pontos de experiência, ao passo que correr pela Razer tem como objetivo terminar o campeonato entre os 3 primeiros e garante um bônus de 2500 pontos de experiência. Cabe ao piloto decidir a qual equipe ele irá representar de acordo com a sua habilidade.

Uma temporada é composta normalmente por 3 ou 4 eventos de corrida e, ao término de cada temporada, o jogador pode escolher uma nova categoria ou mesmo uma nova equipe para disputar a próxima.

Categoria Open Wheel

A cada temporada também podemos cumprir determinadas “missões” que garantem um adicional em pontos de experiência. São diversas tarefas como terminar uma corrida sem nenhuma colisão, andar X minutos em uma corrida acima dos 250 Km/h etc.

A dinâmica é bastante simples: quanto mais corridas, mais pontos de experiência e consequentemente maior o nível do piloto. Quanto maior o nível do piloto mais competições e equipes ficam disponível para serem escolhidas.

A seguir vamos passar por todas as categorias e suas particularidades.

Turismo: Aqui as corridas acontecem com carros de turismos. Algo similar ao nosso Stock Car brasileiro ou a Nascar americana em que vence quem terminar mais rápido um número pré-determinado de voltas pelo circuito. Antes de cada corrida é possível rodar algumas voltas no modo de classificação que vai definir o grid de largada. Entretanto, esta qualificação valerá apenas para a primeira disputa em um determinado circuito, isso elo fato de, a cada evento nessa categoria, temos duas corridas no mesmo autódromo, mudando apenas a ordem de largada. Por exemplo se você venceu a primeira corrida, na segunda prova você largará na última posição e a corrida fica muito mais complicada.

Endurance: O tradicional Enduro. As corridas são mais longas e vence quem conseguir dar o maior número de voltas pelo circuito em um período pré-determinado de tempo. O diferencial aqui é que o carro sofre desgaste ao longo de toda a corrida e quanto mais desgastado mais difícil o controle. Freadas bruscas, colocar o carro na terra ou mesmo acelerar demais pode causar problemas e desgastes no carro.

Open Wheel: Aqui os veículos usados são os carros de fórmula, semelhantes aos de Fórmula Indy ou Fórmula 1. A velocidade é maior comparada às outras categorias e também é possível disputar a classificação para definir o Grid de largada. Assim como na categoria Turismo o número de voltas é definido no começo da corrida.

Tuner: Sem dúvidas nenhuma a categoria mais diversificada. Em uma mesma temporada é possível participar de corridas com Muscle Cars que são mais pesados e difícil de controlar, corridas contra o relógio e também competições inteiras com a mecânica de Drift, onde os “pontos” são atribuídos de acordo com a distância percorrida fazendo Drift sem tirar o carro da pista. Eu particularmente achei que essa última modalidade destoa um pouco das demais, sendo chata, cansativa e com carros difíceis de controlar.

Street: As famosas corridas de rua com carros de passeio. Aqui as pistas são mais estreitas e por isso as colisões mais frequentes. Outro fator interessante é a mudança de piso que pode variar dentro de uma mesma corrida influenciando um pouco na dirigibilidade do carro.

Grid: essa categoria só é liberada após alcançar o Nível 3 em todas as categorias e é uma mescla de todas as outras com a dificuldade elevada.

Além do modo carreira também estão disponíveis os modos clássicos de qualquer jogo de corrida: Multiplayer Local, Campeonato, Campeonato Personalizado, Tomada de Tempo e Corrida Rápida onde é possível jogar qualquer categoria presente no modo carreira.

Infelizmente nenhum modo para jogar Online.

Espere Por Carros Pouco Convencionais Também

Gráficos e Sons

Sem sombra de dúvidas Grid Autosport tem os gráficos mais bonitos que eu já em um jogo para o Nintendo Switch. Porém, para que você possa curtir toda essa belezinha no seu console, um pacote de texturas em HD opcional precisa ser baixado, adicionando 2.8Gb ao tamanho final do game.

Podem baixar sem medo, faz uma baita diferença e vale cada Megabyte utilizado. As texturas realmente são lindas. Corridas diurnas trazem uma beleza sem tamanho, cada detalhe do circuito e do carro, tudo é extremamente bonito.

Sobre a análise do áudio precisamos separar o assunto em duas partes: Os efeitos sonoros e a dublagem. Essa separação se faz necessário porque a qualidade entre elas é muito diferente.

Os efeitos sonoros como sons dos motores, freadas e colisões são genéricos e parecem todos muito similares. Não comprometem a experiência, mas não aproveitam todo o potencial que poderia ser explorado. Normalmente os jogadores deste tipo de jogo adoram ouvir o ruído dos motores originais e comparar o ronco entre cada modelo de carro.

Agora a dublagem meus amigos… Ah a dublagem. O trabalho aqui é fantástico e todinho em português. Quando você vai criar o seu piloto uma lista de nomes brasileiros mais comuns está disponível. Se você encontrar seu nome ali a experiência se torna muito mais divertida. Durante a corrida o chefe de equipe fala com você citando seu nome, informando qual a posição do seu oponente, parceiro de equipe ou qual a situação atual do seu carro.

Tudo soa muito natural aos ouvidos e eu me surpreendi algumas vezes quando carregava o modo temporada e uma linda voz feminina dizia: “Bem-vindo de volta Rodrigo”.

O Pacote de Texturas HD Faz Toda Diferença

Veredito

Se você gosta de jogos de corridas ou nunca teve oportunidade de jogar algum jogo desse estilo e procura por um bom título para começar, você tem grandes chances de gostar de Grid Autosport.

Jogabilidade acessível, belíssimos gráficos e um trabalho de dublagem primordial são só alguns atrativos. A diversidade dos modos de jogo, unidos a um Modo Carreira consistente e com variações de categorias garantem muitas e muitas horas de Gameplay.

Grid não é um jogo perfeito. Senti falta de uma garagem com opções para desbloquear e colecionar carros. Você não tem a opção de escolher o seu carro durante as temporadas e todos os carros da mesma categoria parecem iguais. Isso me incomodou um pouco.

Contudo, a experiência com Grid foi extremamente satisfatória e é impressionante ver o desempenho no console da Big N. Certamente Grid permanecerá na minha biblioteca por muito tempo. Poder levar ele comigo e disputar uma corridinha em qualquer lugar me agradou bastante.


Trailer do jogo


*Esta análise foi feita com uma cópia disponibilizada pela produtora.