Com as olimpíadas de Tóquio se aproximando é natural que as expectativas ao redor do mundo aumentem com o passar dos dias, afinal de contas são os melhores atletas de cada país competindo em alto nível nas mais diferentes modalidades esportivas. Sem dúvida nenhuma é o maior evento esportivo do mundo.

Para nós amantes dos Videogames, essa edição tem um fator emocional ainda maior: Os jogos acontecerão no Japão, o berço dos jogos eletrônicos. Eu assisti o encerramento da última edição das olimpíadas em 2016 no Rio de Janeiro, e vibrei muito quando o nosso querido Super Mario apareceu na cerimônia como um legítimo embaixador japonês dando o pontapé inicial para a edição de 2020.

Como já é tradição, desde 2008 a cada nova edição dos jogos olímpicos temos um novo game com Mario, Sonic e todo o plantel de personagens das franquias competindo em busca das tão desejadas medalhas de ouro olímpicas. Mario & Sonic nos jogos olímpicos Tokyo 2020 (M&S 2020) é a nova aposta da SEGA para nos apresentar as olimpíadas de uma maneira ainda mais divertida.

Será que após mais de uma década desde o primeiro lançamento e com uma temática restrita aos esportes M&S 2020 consegue se reinventar, surpreender e nos trazer alguma novidade? Isso é o que vamos descobrir nas próximas linhas deste Review.


Ficha Técnica

Título: Mario & Sonic at the Olympic Games Tokyo 2020

Plataforma: Nintendo Switch

Tamanho: 7Gb

Desenvolvedora/Publicadora: SEGA

Jogadores: 1-4 jogadores (local) – até 8 jogadores (online)

Em Português: Sim

Gênero: Esportes

Save na Nuvem: Sim

Classificação: Livre


Jogos, Jogos e Mais Jogos

Publicado pela SEGA, M&S 2020 chega ao Nintendo Switch em 05 de novembro trazendo diversas novidades muito bem-vindas e que trazem um frescor para a série sem alterar demais a fórmula já consagrada com Mini Games rápidos, simples, mas extremamente divertidos.

Ao todo são 21 esportes que cobrem todas as principais modalidades dos jogos olímpicos: natação, esgrima, arremesso de martelo, futebol, rúgbi, skate, hipismo, saltos ornamentais etc. Nada muito diferente do que já vimos em jogos anteriores. De maneira nenhuma isso é uma crítica, afinal de contas é exatamente isso o que esperamos de um jogo da franquia. Todas as modalidades possuem registros com os verdadeiros recordes olímpicos e podem ser “quebrados” pelos jogadores deixando seu nome na história dos jogos.

Além das disputas tradicionais temos três modalidades (Corrida, Tiro e Karatê) que apresentam uma variação. São chamadas disputas fantásticas, onde novos elementos do cenário e Power Ups aumentam ainda mais as disputas e a diversão, no melhor estilo Mario Kart e demais jogos de esportes do bigodudo.

Pela primeira vez na série temos a adição de algumas modalidades que são disputadas com uma roupagem retrô, fazendo referência aos jogos olímpicos de 1964 também sediados no Japão. São 10 no total, onde os personagens da franquia do Mario são representados em suas versões 8-Bits e os personagens da franquia do Sonic são exibidos com versões de 16-Bits. Uma baita adição que pega o pessoal mais velho pela nostalgia, os Sprites são lindos e muito bem animados.

Smash? Não, só uma disputa de Karatê

Conteúdo é o que não falta e por favor não percam a conta. Adicionalmente às modalidades clássicas, fantásticas e retrô já mencionadas aqui, M&S 2020 conta com 10 Mini Games que pouco têm a ver com as olimpíadas e lembram muito mais os desafios de Mario Party. Temos corridas contra o tradicional trem bala japonês, escaladas em prédios, desafios de localizar Toads pelas ruas movimentadas de Tóquio, entre outros. Uma adição interessante que, apesar de não ter relação direta com os jogos olímpicos, apresenta ao jogador alguns locais curiosos e emblemáticos da cidade japonesa.

M&S 2020 apresenta também um sistema de conquistas para todas as modalidades e modos de jogo disponíveis. Não é uma adição que proporciona alguma alteração de Gameplay e chega para suprir uma necessidade do próprio console. Contudo é muito gratificante quando a notificação de que alguma conquista foi liberada aparece na tela e acaba aumentando o fator replay do game.

Totalmente localizado para o mercado brasileiro (dublagem e textos) M&S 2020 conta com quatro modos de jogo: Partida Rápida, Modo História, Jogo Local (Wi-Fi) e Jogo Online.

O Modo História

De todos os modos de jogo o que merece nosso destaque é o novíssimo modo história. Nele Eggman e Bowser unem forças elaborando um plano para aprisionar Mario e Sonic dentro de um jogo de Videogames. Os vilões desenvolvem um console misterioso chamado Tokyo 64 que suga as pessoas para dentro de um jogo que representa as olimpíadas do 1964.

Nem tudo sai como o planejado e, por conta de um pequeno acidente com o Luigi envolvido para variar, Mario, Sonic, Bowser e Eggman acabam aprisionados no famigerado jogo. Sem muitas alternativas nossos heróis precisam buscar uma maneira de escapar e voltar à nossa realidade antes que a bateria do pequeno console termine.

Melhor ficar longe deste console

O enredo é simplório, não faz muito sentido, contudo é extremamente divertido, engraçado e cumpre bem a sua função. É através do modo história que podemos liberar alguns personagens e modalidades, além de ser uma ótima opção para apresentar ao jogador todas as competições disponíveis no game.

A história é dividida em 20 capítulos e, conforme avançamos, temos a oportunidade de jogar controlando diversos personagens diferentes, sempre alternando entre os anos 1964 e 2020. Mapas da cidade de Tóquio dos anos 1964 e 2020 permitem nossa movimentação e funcionam como uma espécie de hub para acessar as locações olímpicas participando das competições contra a CPU.

Conforme o jogador cumpre determinadas missões novas locações são liberadas e a história avança apresentando ao jogador novos desafios. A conclusão em si não é difícil, apesar de algumas modalidades exigirem um pouco mais de habilidade do jogador. Uma boa opção de acessibilidade para as crianças que são o público alvo do jogo, é que se você falhar na mesma missão por três vezes é possível simplesmente pular para a próxima sem nenhuma punição, evitando assim frustrações aos pequenos jogadores.

Jogando o modo história também é possível buscar colecionáveis com curiosidades em forma de perguntas e respostas sobre os jogos olímpicos e sobre personagens do jogo. No total são 122 curiosidades que dão ao jogador uma verdadeira aula sobre os jogos olímpicos. Eu me diverti demais buscando os troféus espalhados pelos cenários e conversando com os NPCs para coletar essas perguntas. Boa sacada dos desenvolvedores para incluir uma dose de cultura de maneira divertida ao jogo.

Modo 1964 é um show a parte

Como pontos negativos desse modo de jogo podemos citar uma quantidade muito grande de diálogos e algumas idas e vindas sem sentido pelos mapas, mas nada que atrapalhe a experiência como um todo. De maneira geral percorrer os vinte capítulos foi bastante divertido e acabou se mostrando uma boa pedida para jogadores que curtem o single player.

Jogabilidade, Gráficos e Sons

No fim das contas, M&S 2020 é um jogo com a proposta de ser acessível para todo o tipo de público. Nada de comandos complexos ou longos tutoriais que poderiam deixar a jogatina entediante.

Ao iniciar qualquer prova, seja no modo história ou partidas rápidas o jogador tem três opções de controles: 1 Joycon, 2 Joycons e Apenas botões. Para as opções de 1 ou 2 Joycons os sensores de movimentos são utilizados e respondem muito bem. Sem dúvida nenhuma é a opção de jogo mais divertida. Para quem não curte ficar sacudindo os controles é possível jogar apenas pressionando os botões. O Pro Controller funciona muito bem nesse modo e foi o que eu mais usei para fazer essa análise.

Escolhido o esquema de controles, um pequeno tutorial é exibido na tela com as informações básicas para aquela prova e o jogador pode começar a se divertir.

Os gráficos estão belíssimos e apesar do estilo cartunesco é possível ver o carinho em cada detalhe representado na tela. Os efeitos de água nas piscinas a textura da grama no campo de futebol, o piso do tablado de ginástica, o modelo dos personagens… tudo é muito bonito. M&S 2020 consegue mesclar bem os personagens fictícios com versões estilizadas de locais reais, nada soa estranho e tudo parece parte do mesmo universo.

As CGs do game também estão lindas

A trilha sonora é competente e entrega o que se espera. Não temos nada muito marcante, pelo contrário as músicas são discretas, mas ajudam a transmitir a atmosfera para o jogador. O destaque positivo aqui fica por conta da dublagem. Os personagens em si não falam durante todo o jogo, mas temos o narrador fazendo comentários divertidos durante as provas. A dublagem é muito bem-feita e acaba deixando o jogo ainda mais divertido.

Veredito

M&S 2020 é o melhor jogo de toda a série. As modalidades olímpicas foram bem escolhidas desde as provas clássicas como a Maratona, até as estreantes como o Skate. Adições como modos de disputas, sala de jogos e as provas retrô são fantásticas, sem contar que fazer um paralelo com o passado das olímpiadas em 1964 foi uma ideia genial.

A diversão é garantida e a mistura de Party game com jogos de esportes é uma boa pedida. A galera das antigas certamente vai notar uma pitada do saudoso Jogos de Verão do querido Master System na estrutura de M&S 2020. A jogabilidade simples e os controles responsivos garante uma boa experiência para todos os níveis de jogador.

Está lindo ou não?

O modo história é um atrativo a parte. Com uma campanha divertida e com a possibilidade de aprender mais sobre o universo olímpico, esse modo não deve ser ignorado de maneira nenhuma, além de acabar servindo como um grande tour por todas as modalidades disponíveis. Temos alguns pequenos erros de tradução durante a campanha e em alguns poucos momentos de diálogos mais longos do que deveriam, mas esses pequenos problemas não atrapalham em nada a experiência.

Mario & Sonic Nos Jogos Olímpicos Tokyo 2020 é a consolidação de uma franquia que veio para ficar e é o exemplo de que é possível se criar novas mecânicas e modos de jogo mesmo tendo sempre as olimpíadas como pano de fundo.


Trailer


Este Review foi feito utilizando uma cópia enviada pelos produtores.