Desenvolvido pela japonesa Visco Corporation e publicado pela QUByte, Vasara Collection chega ao Nintendo Switch dia 15 de agosto.

Trazendo pela primeira vez aos consoles domésticos os shoot’ em up’s Vasara e Vasara 2, lançados originalmente para Arcades nos anos 2000, a coleção conta ainda com um novíssimo e inédito modo de jogo criado exclusivamente para o lançamento nos consoles.

Será que após quase 20 anos do lançamento original Vasara consegue se manter relevante e divertido para um público fiel e apaixonado pelo estilo Bullet Hell?

Esta e diversas outras questões serão respondidas neste Review. Então coloque o seu capacete, abasteça sua nave e vem com a gente defender o antigo Japão feudal.


Ficha Técnica

Título: Vasara Collection

Plataforma: Nintendo Switch

Tamanho: 1.3 Gb

Desenvolvedora/Publicadora: Visco Corporation / QUByte

Jogadores: 4

Em Português: Não

Gênero: Ação / Arcade

Save na Nuvem: Sim

Classificação: 13 Anos


Conhecendo Vasara

Vasara é ambientada no ano 1600 DC. O atual governante do Japão, Hideyoshi Hashiba, morreu e o tirano Ieyasu Tokugawa está planejando assumir o poder. Cabe aos heróis remanescentes impedir que Tokugawa alcance seu objetivo, derrotando todo o seu exército e combatendo cada um dos senhores da guerra enviados pelo tirano.

A ambientação é muito interessante e lembra o conceito de Steampunk, onde percorremos cenários nitidamente baseados no Japão antigo, mas com tecnologias de ponta durante os combates. Temos as naves, armamentos modernos e o mais legal de tudo: batalhas contra Mechas, os famosos robôs gigantes tão presentes na cultura oriental.

Um elemento muito importante no Gameplay é a adição de ataques “corpo a corpo” (Melee). Diferente dos demais jogos do mesmo estilo, o jogador não é punido quando alguma nave inimiga encosta na sua, pelo contrário, esse tipo de situação é diversas vezes estimulada para que o jogador faça uso deste ataque, eliminando os inimigos mais próximos com algo que lembra muito um sabre de luz. E é possível, inclusive, rebater alguns projéteis.

O enredo é extremamente simples e clichê. Contudo, o que faz de Vasara um jogo marcante dentre tantos outros do mesmo estilo é a busca pela inovação. Vasara é capaz de agregar características clássicas dos Shoot’ em Up’s com uma série de elementos de jogabilidade nunca antes apresentados.

Edição de colecionador

Um é pouco, dois é bom e três é melhor ainda

Vasara

Clássico jogo de nave para Arcades. Possui gráficos lindos com belos efeitos em Parallax e uma trilha sonora extremamente competente.

Podendo ser jogado por até 2 jogadores simultaneamente, Vasara conta com 3 personagens disponíveis para seleção, cada um com jogabilidade e características diferentes, como os atributos de velocidade e poder de ataque.

Outro ponto de destaque positivo fica por conta da diversidade na história principal, uma vez que cada personagem possui a sua própria campanha, o que deixa o jogo com um fator replay bastante interessante.

Como elementos de jogabilidade, temos ataques de tiro rápidos que podem ser melhorados coletando Power Ups pelo caminho. O ataque pesado fica por conta das bombas que eliminam todos os inimigos do cenário e estão disponíveis em número limitado. Temos ainda o ataque corpo a corpo, que é disparado quando o botão de ataque pesado permanece pressionado por pouco mais de 1 segundo. E também está disponível o ataque especial chamado Vasara, que pode ser disparado quando a barra está completa.

Vasara

Vasara 2

Seguindo os passos do seu antecessor, Vasara 2 joga seguro e não faz grandes mudanças na fórmula já apresentada no jogo anterior.

Os ataques pesados com as bombas foram removidos. Em contrapartida, o número de personagens disponíveis recebeu um reforço: agora são 4 personagens divididos em 2 campanhas. Outra adição bem-vinda é a possibilidade do jogador escolher a dificuldade entre Difficulty (12 Fases) e Easy (6 Fases).

Ao iniciar cada fase, o jogador é apresentado a algumas missões secundárias para eliminar inimigos específicos. Cumprir essas missões garante ao jogador uma pontuação adicional antes de avançar para o próximo estágio.

Vasara 2

Vasara Timeless

Visitar as versões clássicas de Vasara é sem dúvida uma boa pedida. Além de divertidos, os jogos são uma boa oportunidade de conhecer essa diferente franquia dos Shoot’ em Up’s.

Entretanto, é o modo Timeless que faz toda a coleção valer a pena. Ele foi criado para ser um modo “infinito” onde o objetivo do jogador é simplesmente sobreviver pelo maior tempo possível, buscando o maior número de pontos para subir em um Ranking Global.

Os gráficos com Sprites, vistos nos jogos anteriores, dão lugar a lindíssimos cenários em HD com gráficos vetoriais, trazendo um frescor muito merecido à franquia. Jogar o modo Timeless logo depois de algumas partidas nos modos clássicos impressionam pelo salto de qualidade que só o avanço da tecnologia permitiu. O carinho foi tanto que alguns encontros com chefes apresentam uma pequena animação detalhando o inimigo que será enfrentado.

Cada campanha é única. A partida é gerada de maneira procedural, transformando Vasara Timeless em um divertido Shoot’ em Up Rogue Like, aumentando absurdamente o fator replay.

De início temos 7 personagens disponíveis para o usuário, ou seja, todos os personagens dos jogos clássicos. Um oitavo personagem é liberado ao terminar o Vasara 2 Classic. E pela primeira vez também podemos jogar Coop em até 4 jogadores.

Timeless é muito mais cadenciado e não tem aquela chuva de projéteis na tela. Portanto, se você consegue se dar bem nas versões clássicas, tem boas chances de conseguir uma boa colocação no Raking Global.

Vasara Timeless

Collection

Além de contar com os dois jogos clássicos e o novo modo de jogo Timeless, o pacote conta com alguns extras muito interessantes.

Opções foram adicionadas para os modos clássicos, permitindo que a experiência dos jogadores seja muito mais agradável: além dos tradicionais papéis de parede exibidos durante a jogatina, preenchendo a tela do Switch, temos opções de filtros para suavizar os Sprites e a opção de jogar com fichas (Ilimitadas) ou modo Free Play com continues também ilimitados. Temos também a possibilidade de jogar com o Nintendo Switch na posição Vertical, fazendo com que a tela de jogo ocupe toda a área do portátil. Contudo, apesar de interessante, essa configuração elimina a opção de jogar no modo portátil.

Uma linda galeria com artes dos jogos está disponível e, sem dúvida nenhuma, vale a pena uma conferida.

Veredito

Os tradicionais jogos de navinha ou Shoot’ em Up, se preferir, possuem um nicho específico de fãs por conta da dificuldade elevada. Porém, Vasara Collection consegue tornar o Gameplay muito mais acessível, seja por conta das fichas e continues ilimitados ou por conta da jogabilidade mais cadenciada no modo Timeless.

Se você não conhece a franquia, aqui está uma bela oportunidade. Afinal, onde mais você vai ter a chance de pilotar uma nave combatendo robôs gigantes no Japão feudal?

Além disso, o carinho e esmero com que o os desenvolvedores juntaram o modo Timeless e, também, as opções para os modos clássicos fazem de Vasara Collection uma excelente pedida para a portabilidade do Nintendo Switch.


Trailer do Jogo


Este review foi feito utilizando uma cópia enviada pelos produtores.