3DSDestaquesGeralListãoWiiU

10 jogos que eu apostava muito (3DS e WiiU)

Com o anúncio do fim da vida do Wii U, tendo como seu último grande jogo The Legend of Zelda Breath of the Wild (que não deve entrar nessa lista), e prevendo, pela função portátil do Switch, uma queda na procura por um 3DS, listamos alguns jogos que apostávamos muito, mas me decepcionaram nessa geração da Big N:

The Legend of Zelda: A Link Between Worlds

Uma das escolhas mais criticadas com certeza, mas ALBW já leva um nome de peso, acrescentado a intenção de lembrar os elementos de A Link to the Past, deixa o título com uma responsabilidade que dificilmente ele conseguiria cumprir. Além de tudo dá a impressão de ser bem curto e fácil, apenas diverte e isso é pouco para um jogo da franquia.

 

Super Smash Bros for Wii U

Super Smash Bros é um baita jogo, há diversos desafios e muitos personagens com características diferentes, apesar da falta de um modo história. O grande problema do game, além da expectativa criada depois do belo trabalho feito na versão de 3DS, é o online e a decepção de não conseguir uma partida com um delay aceitável para um jogo do gênero. Isso me afastou bastante do game, hoje só jogo off e no 3DS.

 

Pokkén Tournament

Os jogos de luta parecem que não vingaram no Wii U, Pokkén foi lançado no fim da vida do console e poderia ser muito mais do que foi. A falta de personagens aliada à uma jogabilidade diferente e enjoativa foi o estopim para a baixa adesão, até de fãs de Pokémon, do game. Pokkén foi definido como morto no Wii U após as várias atualizações para Arcades e nada de aparecer no console, talvez o Switch receba uma versão completa do game.

 

 

FIFA e PES (3DS e Wii U)

Faz muito tempo que não vemos jogos de Futebol interessantes nos consoles Nintendo e dessa vez não foi diferente. No 3DS os controles são uma desvantagem a mais, no Wii U há recursos interessantes no Gamepad, porém a falta de apoio das thirds fez com que a EA estacionasse a versão de 2013 e para games que sobrevivem de atualizações anuais isso é o fim do apoio.

 

The Legend of  Zelda: Triforce Heroes

Foi difícil colocar esse jogo na lista, mas precisamos ser francos que nem tudo funciona em The Legend of Zelda. A ideia prometia e poderia encaminhar a franquia para um nicho pouco explorado (Multiplayer), mas a falta de modos diferenciados de jogo e o péssimo online da Nintendo (para a Internet BR) acabaram desanimando aqueles que tentaram apostar em Triforce Heroes. Usar o Download Play seria um caminho para alavancar o jogo, mas há tantas opções mais interessantes no 3DS que era difícil achar alguém que tenha comprado Triforce Heroes.

 

Watch Dogs Wii U

Watch Dogs tem o seu potencial, mas se colocar acima de GTA logo no seu primeiro jogo da franquia é pedir para ser um fracasso. Como se já não bastassem toda a polêmica envolvendo o Downgrade e a reciclagem do mundo aberto de Assassins Creed, a Ubisoft conseguiu envolver até o Wii U nesse rolo todo, lançando para o console com o atraso de 6 meses. As funções do Gamepad agradam, mas ninguém quis depois que o mundo inteiro já havia jogado.

Animal Crossing: Amiibo Festival

Um amante de Animal Crossing, com mais de 500h no DS e 3DS, espera ansiosamente por um título para consoles de mesa (não joguei o de Wii e GC) e a Nintendo me vem com um jogo de tabuleiro. Sim, foi decepção quando vi o trailer, sim comprei mesmo assim porque tinha esperança que poderia ser bom. Conclui que Amiibo Festival só pode ser piada, é totalmente oposto daquilo que a franquia sempre propôs: a liberdade e criatividade na jogatina.

Final Fantasy Explorers

Confesso que esse título entrou mais para completar a lista, Final Fantasy Explorers não seria uma decepção se recebesse outro nome. Sim, há diversas referências dos outros jogos da franquia e um diálogo bem engraçado, mas a essência não é de FF, até as qualidades acabaram ofuscadas por saírem da tônica da franquia. Apesar disso, talvez seja o que eu mais recomende das minhas decepções.

 

Pokémon Shuffle e Pokémon Rumble World

São de graça, não gastei para tê-los e não foi criado nenhum hype para esses jogos, mas há um motivo particular para ter me decepcionado. Minha queixa não foi a qualidade dos “mini-games”, para títulos grátis eles cumprem o necessário, dando visibilidade à franquia Pokémon e entregando uma experiência decente, porém esperava uma vida mais longa. Claro que é muito individual, tive esses free-to-play em um Gap de jogos que queria comprar, mas não me prenderam por muito tempo e acabei trocando o 3DS pelo celular nessa época

Star Fox Zero

O grande lançamento para o Wii U em 2016 foi o meu grande furo, mas aí entra muito do meu gosto, apesar de não ter criado um hype por esse game. Star Fox Zero é excelente… até a segunda fase, onde entram seus controles peculiares e a obrigação de mudar frequentemente o seu “estilo” de jogo. Tecnicamente essa mudança foi muito bem feita, mas claramente foi feita para poucos, insisti em algumas fases posteriores, mas toda vez que precisava da galinha em algum trecho, me arrependia em como estava gastando meu tempo.

Lembrando que a lista é de caráter pessoal do autor do post, havendo divergências até entre os membros da NL, então sinta-se a vontade, sempre com respeito, para discordar nos comentários ou lembrar aquele jogo dessa geração que você não quer nem pintado de ouro!

Gostou? Então compartilhe!

Jonatas Marques

De RPG japonês até Candy Crush genérico, se me prende a atenção, estou jogando! Essa paixão transcendeu para a internet, onde escrevo sobre games na NL e no Medium.