Tony Hawk’s Pro Skater é uma das franquias mais bem pontuadas no Metacritic, sendo que seu segundo jogo é um dos pouquíssimos que acumularam 98 pontos, estando abaixo somente de The Legend of Zelda: Ocarina of Time, imperando com 99 pontos. Quase 20 anos mais tarde, a Activision e a Vicarious Visions (mesmas empresas que fizeram o remake Crash Bandicoot N. Sane Trilogy) trouxeram novamente o primeiro e o segundo jogo de Tony Hawk’s Pro Skater para os consoles das gerações atuais em um pacote só, vindo recentemente para o Nintendo Switch.

Esse remake tem o mesmo potencial dos jogos antigos? Permanece com a mesma diversão que possuía? É o que vamos ver aqui.


Ficha Técnica

Título: Tony Hawk’s Pro Skater 1 + 2

Plataforma: Nintendo Switch

Data de Lançamento: 25/06/2021

Tamanho: 12.2 GB

Desenvolvedora: Vicarious Visions

Publicadora: Activision

Jogadores: 1-8

Save na nuvem: Sim

Em português: Sim

Gênero: Esporte, Simulação, Multiplayer

Preço no Lançamento (BR): R$ 199,00

Preço no Lançamento (US): US$ 39,99


 

Diversão infinita

Durante minha infância e adolescência, um dos muitos jogos que possuía no PSONE era Tony Hawk’s Pro Skater. Não sei se era o 1 ou o 2, não entendia muito, mas me recordo do quanto que era divertido, seja jogando sozinho ou entre os amigos. Não lembro de focar em pontuação ou coletáveis, em liberar pistas ou novos personagens, só queria me divertir; e era isso que o Kiefer de 10 ou 11 anos conseguia.

Quase 20 anos depois, com gostos bem definidos de jogos que passam bem longe do gênero de esporte, voltei no tempo e me diverti como na infância, mas dessa vez focado em pontuação e coletáveis.

No remake, é possível escolher as pistas do primeiro e do segundo jogo a qualquer  momento. Os esqueitistas, atributos, personalização e outros aspectos individuais são compartilhados entre os dois. Na verdade, não são como jogos distintos, é apenas uma seleção de mapas diferentes, pois, como o nome diz, são os jogos somados, “1+2”.

As fases possuem alguns desafios a serem completados em um curto espaço de tempo, como Pontuação Alta ou Insana, Combo Alto, Coletáveis, execução de determinadas manobras ou ações em locais diferentes, e o acúmulo dessas conquistas concede novas fases. Por exemplo, para liberar o próximo mapa, são necessários 5 desafios completados; para o próximo são 10; depois são 17 e assim por diante, sempre aumentando a dificuldade. Além disso, existem campeonatos que exigem uma alta colocação para liberar outros.

Existem 17 fases ao todo, e por mais que pareçam poucas, as fases liberadas, desafios completados e pontuação estão vinculados a somente um esqueitista. O Chad Muska não vai ter acesso aos mapas liberados por Tony Hawk, por exemplo. Isso dá ao jogo um fator replay imenso, pois existem 21 personagens jogáveis, fora os desbloqueáveis.

Manobras variadas

Tony Hawk’s Pro Skater 1 + 2 ocorre em mapas em 3 dimensões, com câmera semi controlável, sempre focada no esqueitista, alterando os ângulos para facilitar a visualização e realização das manobras. O personagem corre com o skate constantemente para frente, sem a necessidade de apertar algum botão para isso, o que facilita a jogabilidade, deixando-a bem dinâmica, ideal para um jogo de esporte. Entretanto, é possível ficar parado, ideal para olhar a fase e encontrar pontos de interesse.

Cada personagem possui uma especialidade, além de seus próprios atributos, manobras especiais diferente e desafios próprios, um prato cheio para os complecionistas. É possível ainda otimizar suas habilidades aumentando seus atributos e liberar novas manobras especiais cumprindo certos requisitos. Além disso, todos são capazes de realizar as manobras básicas.

Um dos brilhos do jogo está nas manobras, que são feitas por meio da combinação de botões com direcionais. Existe uma variedade imensa delas, cada uma mais satisfatória de se realizar do que a outra. É interessante que repeti-las diminui a pontuação, obrigando o jogador a variar as manobras, o que não é difícil devido a grande quantidade que existe.

Para conseguir uma pontuação melhor no final da rodada, é crucial realizar combos entre as manobras. Cada combo adiciona um multiplicador, sendo possível, em certas ocasiões, multiplicar seus pontos em mais de 10 vezes. Entretanto, caso o esqueitista caia ou execute alguma manobra de forma errada, quebrando seu fluxo, perde tudo que fez até então. Além disso, existem manobras que se complementam e é possível, para finalizar o combo, realizar um especial que aumentará mais ainda a pontuação. Tudo isso para, no fim, completar os objetivos de cada fase.

Gráficos e músicas renovadas

Sendo jogos de PSOne, as imagens eram ótimas para a época, e a Vicarious Visions fez mais do que uma simples remasterização. Além de mesclar conteúdos existentes em ambos, a desenvolvedora criou novas e renovou completamente as personalidades do jogo. Existem esqueitistas das antigas e também novos. Todos receberam sua devida atenção nas capturas de movimento e de fotos para criá-los em um ambiente 3D. Os cenários também estão belíssimos, rodando de forma bem satisfatória no Nintendo Switch.

As músicas também foram renovadas para condizer com os dias de hoje, mas sem perder o charme e a sensação de que são músicas de skate. Existe até uma música do Charlie Brown Jr., em homenagem ao Chorão, muito provavelmente por causa dos pedidos que os fãs fizeram nas redes sociais.

Veredito

Tony Hawk’s Pro Skater 1 + 2 leva os jogadores das antigas aos tempos áureos das locadoras ou jogando “de dois” com os amigos depois da escola, e tudo isso devido ao principal fato de ser um jogo descompromissado, capaz de divertir mesmo começando o jogo do zero cada vez que é iniciado, coisa bem comum nas locadoras e entre os amigos que não possuíam memory card na época. Apesar disso, o jogo não pensa somente nos fãs antigos, possui potencial de agradar as novas gerações, seja durante jogatinas rápidas ou longas horas com os amigos.

Por fim, o jogo possui alguns modos online que, felizmente, existem bastante pessoas jogando, principalmente pelo fato de possuir crossplay entre consoles. Isso aumenta a sensação de comunidade e de competição, renovando ainda mais os sentimentos de seus jogos antigos, tornando-o um jogo recomendado tanto para a velha guarda quanto para os mais novos, com elementos capazes de agradar todas as gerações.

E aí, já jogou? Também ia às locadoras para jogar Tony Hawk’s na época? Gostou do atual? Deixe sua opinião nos comentários.


Trailer do jogo


* Esta análise foi escrita usando uma chave fornecida pelos desenvolvedores.