Quando Marvel Ultimate Alliance 3 foi anunciado causou alvoroço entre a comunidade de jogadores ao redor do mundo por dois motivos: primeiramente por se tratar de uma franquia aparentemente esquecida e que apesar de bem-sucedida no passado ninguém apostaria em uma sequência nesse momento. E o segundo motivo foi a exclusividade para o Nintendo Switch, o que deixou muito marmanjo por aí com uma pontinha de frustração.

Será que essa revitalização na franquia faz jus ao legado deixado pelos seus excelentes antecessores ou mesmo preenche o vazio deixado pelo universo cinematográfico da Marvel com o desfecho apresentado em Vingadores Ultimato?

Isso é o que vamos descobrir nesta análise. Então calce sua manopla e vem comigo em busca das seis joias do infinito, já que o enredo do jogo é baseado nesta mesma saga de Thanos.


Ficha Técnica

Título: Marvel Ultimate Alliance 3: The Black Order

Plataforma: Nintendo Switch

Tamanho: 13.2 Gb

Desenvolvedora/Publicadora: KOEI TECMO / Team Ninja

Jogadores: 1-4 (online ou local)

Em Português: Não

Gênero: Ação / RPG

Save na Nuvem: Sim

Classificação: 13 Anos


Montando  e evoluindo o esquadrão

Seguindo a fórmula já consagrada da franquia, Marvel Ultimate Alliance 3 é um jogo essencialmente de ação com visão isométrica em que o jogador conduz uma equipe formada por quatro heróis do universo Marvel.

Ao todo são 34 personagens que são liberados ao longo da campanha principal e vão se juntando ao time conforme a estória avança. E tem para todos os gostos: Guardiões da Galaxia, Vingadores, X-Men, Defensores, Aranha-verso etc.

E não para por aí, pois mais personagens e também novas campanhas já foram prometidas e serão lançadas através de DLCs. Os três primeiros já estão confirmados, sendo dois deles ainda para 2019 e o último para o ano que vem. Podemos esperar mais integrantes dos X-Mens, Quarteto fantástico e Marvel Knights.

Com tantos personagens disponíveis o grande barato da franquia é a liberdade para montar a equipe como preferir. Contudo em Marvel Ultimate Alliance 3 a construção de equipes com heróis que possuem alguma afinidade acaba gerando alguns bônus em atributos da equipe melhorando o ataque, resistência, desgaste etc.

Montar uma equipe com todos os membros dos Vingadores, X-Men ou X-Force, por exemplo, é uma escolha mais vantajosa do que escolher simplesmente quatro personagens ao acaso. Mas o legal é que isso não é um limitador, uma vez que esses bônus não chegam a ser decisivos, mas sim apenas uma ajuda e, além disso, todos os personagens possuem mais de um grupo de afinidade. Por exemplo: a Tempestade tem afinidade com os membros do X-Men, mas também com o Pantera Negra por ser sua esposa e rainha de Wakanda.

Equipe preparada

A lista de movimentos de cada personagem é grande. Cada um possui dois ataques básicos (fraco e forte), quatro habilidades individuais (liberadas de acordo com o nível do herói), quatro movimentos de sinergia que podem ser usados caso esteja próximo a outro herói com o qual tenha algum grau de afinidade e um ataque especial que pode ser liberado individualmente ou em time, mas que precisa ser carregado.

Cada herói evolui de maneira independente. Todos começam o jogo com o mesmo nível, mas apenas os que estão sendo usados em combate recebem XP para evoluir. Por isso é importante sempre alternar entre os personagens que você deseja evoluir. Vale dizer também que os heróis que vão se juntando ao plantel durante a campanha já chegam mais fortes em um nível compatível ao progresso do jogador, o que facilita muito as coisas.

Além da evolução natural dos personagens com XP adquirido durante os combates, em todos os modos de jogo é possível coletar recursos. Cubos de evolução concedem XP imediato para um personagem que você escolher, cristais e outros recursos podem ser utilizados para melhorar as habilidades individuais ou ainda o status de time da sua equipe. Já a árvore de habilidades da equipe é gigantesca.

Todas essas possibilidades de personalização de personagem e time adicionam, sem dúvida nenhuma, uma camada um pouco mais complexa ao jogo. Adição mais do que bem-vinda.

Modos de jogo

A campanha é o principal modo de jogo, leva pouco mais de dez horas para ser concluída sem muita exploração e assim como os recentes filmes da Marvel é levemente inspirada pelo arco Desafio Infinito dos quadrinhos acompanhando a busca de Thanos pelas joias.

HQ Desafio Infinito

Rift é o segundo modo de jogo e funciona como uma espécie de arena para que os jogadores consigam evoluir os personagens mais fracos antes de adicioná-los à equipe principal em momentos mais avançados da campanha, onde um nível mais alto é necessário. São missões, na maioria das vezes, aleatórias que servem apenas como um garimpo para buscar recursos e XP. Muitas missões de Rift são liberadas durante a campanha quando o jogador encontra as chamadas “fendas” pelo cenário.

Bem diferente das fendas e caçadas que temos em Diablo 3 (jogo com o qual Marvel Ultimate Alliance é constantemente comparado), as missões de Rifts são repetitivas, afastando o jogador e fazendo a diversão se tornar um martírio toda vez que precisamos evoluir um personagem defasado fora da campanha.

Ambos os modos podem ser jogados em Co-op local ou online em até 4 pessoas. Jogando online o jogo roda sem Lags ou maiores problemas com o desempenho. O ponto negativo aqui fica por conta das limitações impostas pelo jogo.

Dentre estas limitações destaco as missões de Rift só podem ser jogadas se já tiverem sido liberadas por todos os jogadores da Party, ou seja, jogar com um amigo em um nível muito diferente do seu é uma experiência frustrante. Outro ponto negativo para o online é que jogando em duas pessoas, o host controla três personagens enquanto o convidado apenas um e não é possível distribuir isso de outras maneiras.

Graficos e sons

Graficamente o jogo é muito bonito e entrega o que se espera de um console da atual geração. Os personagens são bem animados e fiéis aos visuais vistos nos quadrinhos. Parabéns para a direção de arte.

Todos os cenários são bem retratados e repletos de pequenos detalhes, sejam mais realistas como Hells Kitchen, lar do Demolidor, ou de ficção com Asgard e Wakanda.

Ataque com sinergia

Entretanto nem tudo são flores quanto ao que é apresentado na tela. Marvel Ultimate Alliance 3 tem um problema sério com a câmera. Lutar em ambientes fechados é um pesadelo. Com um número muito grande de elementos na tela e quatro personagens controláveis, a câmera se perde a todo momento e acaba tornando a experiência muito ruim.

A trilha sonora é um ponto positivo. As músicas são legais e com temas bem diferentes entre si que contribuem muito para a ambientação do universo. A dublagem também recebeu um carinho especial e os atores escolhidos combinam muito bem com os personagens. Nenhuma voz soou estranha ou com problemas de entonação.


Veredito

Marvel Ultimate Alliance 3 é um presente para os fãs da franquia e também uma bela homenagem à toda história construída pela Marvel nos cinemas e principalmente nos quadrinhos. Foram vários os momentos em que eu me peguei com um sorriso no rosto ao ver uma referência discreta ali em um canto do cenário ou em uma das piadinhas do Homem-Aranha.

Apesar dos problemas já relatados com as Rifts e também com a câmera, Marvel Ultimate Alliance entrega o que foi prometido: um jogo nos mesmos moldes dos antecessores, oferecendo uma diversão despreocupada e um excelente passatempo.

Garanto que você vai passar muitas horas evoluindo personagens só para montar aquela equipe dos sonhos que nunca veremos juntos nos quadrinhos ou no cinema.


Trailer do Jogo