This War of Mine: Complete Edition chega ao Switch como um jogo com a cara do console, mas será que o jogo se saiu bem? Confira na nossa análise.


Ficha Técnica

Título: This War of Mine: Complete Edition

Tamanho: 2,2 GB

Desenvolvedora/Publicadora: 11 bit Studios

Jogadores: 1

Em português: Sim

Gênero: Simulação / Estratégia

Save na Nuvem: Sim


Sobre o Jogo

This War of Mine tem como inspiração o cerco de Sarajevo, que ocorreu durante a Guerra da Bósnia de 1992 a 1996. Ao contrário da direção que outros jogos escolheriam com essa temática, This War of Mine procura focar nos civis Bósnios, que tiveram que sobreviver em meio ao caos.

Com uma visão 2D onde é possível se movimentar para cima, para baixo, para a direita e para a esquerda, podemos controlar diferentes personagens, mas só um por vez. Entre explorar em busca de materiais e construir equipamentos para o seu abrigo, o objetivo é sobreviver o maior tempo possível, gerenciando alimentos, medicamentos e recursos de construção.

A história avança conforme os dias passam, em um sistema parecido com o que vemos em Stardew Valley: cada dia no jogo tem em média 6 minutos, tempo em que você pode usar para melhorar o seu abrigo. Ao anoitecer, é possível sair para procurar itens, podendo escolher uma área com mais materiais e correr mais riscos ou optar por uma área isolada com itens mais simples. Determinar quem vai sair para coletar, quem vai vigiar o abrigo e quem descansará naquela noite também faz parte da estratégia.

Esse looping de gameplay é o mesmo nos dois modos de jogo: Clássico/Livre e Stories. No modo Clássico é permitido criar o seu próprio jogo, selecionando quantas pessoas começarão no abrigo, a dificuldade e a quantidade de dias para a guerra acabar; o modo Stories é uma série episódica com histórias fechadas, o primeiro capítulo é o drama de um Pai e sua filha buscando sobreviver em meio à guerra – outros dois episódios estão previstos para serem lançados em breve.

Além desse conteúdo e o acesso aos dois episódios futuros do modo Stories, a versão para Nintendo Switch já conta com a Atualização Anniversary Edition e com a DLC The Little Ones (que adicionou novos personagens).

Dificuldade de uma guerra

O aspecto mais impressionante de This War of Mine, tanto do lado positivo quanto do negativo, é o quão bem ele simula uma guerra. Escassez de recursos, problemas emocionais e físicos dos personagens e a necessidade de conflito com NPCs que também buscam sobreviver, todos esses elementos trazem mais realismo ao jogo, inclusive na sensação de desconforto. Então você deve estar se perguntando: “Qual o lado negativo nisso?”, “Jogos mais realistas não são mais aclamados por jogadores?”. Bom, nem sempre isso é verdade e, para alguns jogadores, essas mecânicas podem ser frustrantes.

Em muitos jogos percebemos que a suspensão de descrença promove um equilíbrio entre imersão e diversão, é essa falta de equilíbrio um dos problemas em This War of Mine. Há momentos do jogo, por exemplo, onde o seu dia é produtivo e você consegue recursos valiosos durante a noite, mas no dia seguinte saqueadores invadem o seu abrigo e levam muitos desses recursos.

Outra situação para evidenciar essa frustração é a interação com os NPCs, que contradiz todo o realismo que falamos anteriormente. Só é possível escolher duas opções ao encontrar pessoas de outro abrigo: ajudar, mantendo seus personagens “estáveis” psicologicamente e perdendo – ou deixando de ganhar – recursos valiosos; ou confrontar e tornar o jogo ainda mais pesado, movendo sua história para uma sobrevivência individualista.

Claro que isso não acontece sempre e faz sentido com a temática do jogo, mas imagina um momento onde você ajuda seus vizinhos com remédios ou comidas e logo depois perde o resto para saqueadores. Ou seja, a frustração somada à falta de recompensa e esperança dos personagens acaba tornando o jogo mais desafiador, o que pode ser um problema dependendo da experiência que você busca.

Muito conteúdo – e bem feito

O trabalho em This War of Mine com certeza foi além de um simples simulador de guerra. A pesquisa histórica, o desenvolvimento dos personagens e a preocupação em trazer uma direção de arte condizente com a guerra são percebidos nas primeiras horas de gameplay.

Ao todo são 18 personagens (alguns são duplas de pai/mãe e filho), cada um com sua história antes da guerra e suas características físicas e de personalidade. As combinações entre pessoas que chegam no seu abrigo são variadas, influenciando nas suas escolhas do dia a dia. Por isso é importante ler todas as atualizações da biografia – onde você descobre mais sobre o personagem – e ativar os diálogos sempre que estiverem disponíveis. Um aviso importante: não se apegue muito aos personagens, o realismo com que o jogo trata o fim de cada história pode te deixar um pouco para baixo.

A arte do jogo também não deixa a desejar, com gráficos em preto e branco, dando aquele peso presente em todo o cenário que visitamos. Um dos problemas dessa escolha é que os personagens apresentam um visual genérico, sendo possível diferenciar rapidamente apenas homens, mulheres e crianças. Porém, podemos olhar para essa representação como uma analogia às pessoas que sofrem nas guerras, não sendo diferenciadas entre si e se tornando apenas números de mortos ou feridos.

Os controles são aceitáveis para um console, sendo possível trocar rapidamente de personagens e interagir com os itens. Mas fica claro que o jogo todo foi pensado para PC e plataformas que utilizam mais a tela de toque. Talvez a opção de utilizar o touch screen ou uma seta com o analógico esquerdo (da maneira que Stardew Valley faz) deixaria o jogo mais dinâmico também no Switch.

Veredito

This War of Mine não é um jogo que vai entreter 100% dos jogadores, mas ele consegue atingir a todos da mesma forma. Não há como falar de guerra de uma forma amigável, principalmente do ponto de vista dos mais prejudicados. Um equilíbrio no gameplay seria bem vindo, porém poderia influenciar na mensagem que o jogo quer passar.

Ao perceber esse “ponto negativo” na minha jogatina, tentei encontrar maneiras de explicá-la, mas só o que encontrei foi uma reflexão sobre o que é a guerra: uma situação inesperada, desesperadora e frustrante; é a luta para sobreviver um dia de cada vez. Se essa sensação me foi passada em meio a uma frustração de gameplay (que vai de encontro ao tipo de jogador que eu sou, sem generalizar), acredito que o objetivo do jogo foi alcançado.

De toda forma é importante ir para o jogo com o seguinte pensamento: em uma definição mais ampla e geral, é muito difícil encontrar a “satisfação e alegria” de jogar videogame em This War of Mine. Muitas vezes o jogo fará você se sentir mal com as situações vividas pelos personagens, por isso se você gosta de jogos com foco em reflexões sociais e em uma mensagem (mesmo que muito pesada), com uma mecânica de jogo de sobrevivência e com gerenciamento de pessoas, este é um jogo que talvez você possa gostar.

 

Você já jogou This War of Mine? Deixe o seu comentário!