Um jogo brasileiro que promete trazer de volta à tona todo aquele sentimento nostálgico de se jogar Top Gear. Mas será que este jogo convence? É o que veremos no review de hoje.


Ficha Técnica

Título: Horizon Chase Turbo

Tamanho: 1 GB

Desenvolvedora/Publicadora: Aquiris Game Studio

Jogadores: 1-4 (local)

Em português: Sim

Gênero: Corrida

Save na Nuvem: Sim


Sobre o Jogo

O jogo, incialmente lançado para celulares e tablets Android e iOS (que comprei tão logo foi lançado), chegou ao Switch trazendo consigo a promessa de reviver o clássico Top Gear. Para garantir essa sensação, a Aquiris (estúdio brasileiro) chamou o compositor original da trilha do Top Gear, Barry Leitch, para compor a trilha sonora do seu jogo, e assim trazer um dos pontos mais que positivos do game.

Em um mundo de jogos de corrida que briga cada vez mais por realismo e por aspectos simulatórios, ver um jogo deste se destacar e trazer de volta a satisfação de sentar e apenas jogar sem compromisso é algo que me agradou muito.

Seu gráfico minimalista é extremamente bonito e me deixou boquiaberto. Horizon Chase Turbo, assim como o jogo que serviu de inspiração, adota o mesmo sistema de câmera, com o carro fixo no canto inferior da tela, e o jogador vira o carro para fazer ultrapassagens e curvas que forem se sucedendo.

Modos de Jogo

World Tour

Este é o principal modo de jogo, seria o modo “campanha”. Nele você tem uma série de países para correr nas mais variadas cidades e pistas, e posso dizer que cada circuito é cheio de personalidade e estilo. Exemplo disso é a corrida noturna, que é uma das coisas mais legais que reparei ao longo do jogo. Além disso, apesar da quantidade de pistas disponíveis (mais de 100), em momento nenhum o jogo fica repetitivo e isso é um mérito para a Aquiris.

outro fator interessante é que o jogo é inclusivo, não exigindo que o player tenha que, necessariamente, vencer todas as corridas para avançar nos mapa do mundo. No entanto, para aqueles jogadores mais perfeccionistas, ele oferece desafio complementar que vai além de simplesmente vencer todas as provas, pois há tokens na pista que você deve coletar para que, juntamente com o fato de vencer a corrida, conquiste o chamado “super troféu”.

Outro fator que influencia na sua pontuação é a quantidade de combustível restante no seu carro ao final da prova. Os pontos conquistados em cada corrida servem para liberar novos países, pistas e corridas de melhoramento.

Corridas de melhoramento são circuitos que você deve terminar pelo menos em terceiro lugar para equipar um novo item de melhoria no seu carro. Esses itens forçam o jogador a decidir entre três pares de incrementos, e essas escolhas afetam muito a jogabilidade, afinal colocar todos os itens focando somente em velocidade e aceleração, por exemplo, pode fazer você ficar com um cavalo indomável nas mãos e perder o controle por diversos momentos. O ideal é pensar as suas escolhas para não comprometer as próximas corridas e o bom andamento do jogo.

Torneio

Neste modo, o jogo testa a sua habilidade para vencer um campeonato contando com várias etapas. Cada etapa conta com quatro pistas que se passam em um país específico. Ao todo, são três campeonatos: Amador, Profissional e Expert.

Playground

Até onde fiquei sabendo, este é um modo lançado junto com a versão do Switch e do XOne. Basicamente este é um modo que lança alguns desafios (atualizados de tempos em tempos) nos quais você pode concluir e comparar seu tempo com amigos e com jogadores do resto do mundo. Entretanto, é interessante você terminar o World Tour para que possa evoluir seu carro e possa competir com os tempos que já estão presentes no placar.

Resistência

Uma espécie de campeonato ainda maior, liberado após vencer a Volta ao Mundo ou todos os torneios. Conta com várias modalidades, ou seja, você pode jogar um campeonato com 12 pistas ou com todas as 109 pistas do jogo, o que naturalmente levará muito tempo para finalizar. Terminar o campeonato com todas as corridas te dará um carro especial.

Carros

Como todo bom jogo de corrida, conforme a sua evolução, o jogo te premia com carros novos. Os carros têm atributos distintos o que dá bastantes opções aos jogadores e permite que você escolha carros “ideais” para cada percurso. Há para todos os tipos e gostos. Desde o “carro da firma” que é um carro com uma escada em cima (fazendo referência aqueles carros das maravilhosas companhias de TV e internet que temos no Brasil) até um Fusca.

Carro da firma!

Ao todo são 32 carros que você libera ao longo do jogo. Para liberá-los você deve completar o desafio concernente àquele carro (vide imagem abaixo).

Multiplayer

A nostalgia bate forte vendo essa divisão de tela.

Todo bom jogo de corrida estilo arcade precisa ter multiplayer, não é mesmo? E esse tem! Até quatro pessoas com a tela dividida garante uma diversão absurda.

Porém, senti falta de um multiplayer online como uma opção. Acaba que o “multiplayer online” fica somente nas comparações de tempos em cada pista entre você e seus amigos. Dá ainda para correr contra um corredor fantasma (que representa o percurso feito por você, seu amigo ou algum outro jogador do mundo) para buscar melhorar seu tempo.

Trilha Sonora

O que falar da trilha? É Barry Leitch em sua essência e isso a torna fantástica. As músicas já fazem subir sua adrenalina e querer pisar fundo no acelerador, tal qual era no jogo de SNES. Eu fiz uma entrevista com o compositor e você pode lê-la clicando aqui. Além disso, caso queira escutar a música do jogo, ela está disponível no Spotify.

Veredito

Talvez “sensacional” seja a melhor palavra para descrever esse jogo. Os desenvolvedores se empenharam para não ficarem presos apenas em uma simples cópia de Top Gear e oferecerem uma releitura de um jogo que mora no coração dos jogadores brasileiros mais antigos (como este que vos escreve), porém sem a sensação de estarmos jogando mais do mesmo.

E com tamanha competência, esse jogo ainda conquista mais e mais fãs, alguns inclusive que nunca jogaram o clássico de SNES. Prova disso são os estrangeiros que, em sua maioria, jamais ouviram o nome Top Gear, porém exaltam e estão adorando este jogo. Mérito para os desenvolvedores da Aquiris.

De forma espetacular e muito competente, este jogo nos traz o espírito das corridas mais old school. Jogar com amigos dividindo a tela é uma experiência fantástica e recompensadora, além de tornar o jogo mais duradouro.

Enfim, eu indico este título a todos os jogadores que gostem desse estilo arcade mais descompromissado e para aqueles que queiram revisitar as memórias de quando jogavam Top Gear no seu Super Nintendo.

E para você? Qual é a sua análise deste jogo? Deixe suas opiniões nos comentários.

Até o próximo post!