Conhecendo todos os rumores que rondam o Switch e seu hardware, nós resolvemos criar esse post em que pensamos fora da caixa e supomos um hardware diferente do que muitos acreditam ser o produto final. Nesse post analisamos alguns rumores e conhecimento que temos do mercado para supor como o Switch poderia surpreender a todos batendo de frente com consoles como o PS4 Pro! Ministério dos Toads adverte: Isso não é um rumor, é apenas uma suposição, para pensamos juntos!

Vamos começar falando um pouco sobre os lançamentos de consoles da Nintendo, que costumam ocorrer sempre próximos ao final do ano para aproveitar as vendas do natal, e tenha certeza de que elas são grandes! É muito estranho ver a Nintendo colocando no mercado um console em março, mês que não possui nenhum tipo de justificava para o lançamento. Sabemos que a Nintendo tem enfatizado que essa escolha foi feita para garantir uma grande line-up de games em sua estreia, mas vamos convir que a Nintendo é uma empresa e ela pode dizer o que quiser para encobrir seus segredos. Empresas são empresas e elas mentem hora ou outra! A Nintendo não é uma santa!

Temos então anunciada uma parceria com a NVidia que, depois de anos longe do mercado de consoles, dominado pela AMD, deseja com todas as forças retomar esse domínio, e a Nintendo é uma excelente porta de entrada para isso! O Switch chegará no meio de uma geração conturbada, com atualizações de console e pretende tanto competir com eles como um console de mesa, quanto como um portátil. No entanto, para ser um portátil, isso exige um processador eficiente, que economize a bateria e permita que o console continue com a gameplay de forma eficiente fora do dock. A NVidia tem grande experiência nesse mercado devido à linha Shield que tem algumas semelhanças com o Switch, logo não é estranho que as apostas estejam no console usar o Chip Tegra X2, baseado na arquitetura Pascal.

E se estivermos errados?

Vamos lá, a Nvidia domina o mercado de placas gráficas por razões que não vêm ao caso agora, porém ela gosta de se mostrar dominante e poderosa nesse segmento. Em junho deste ano, a NVidia fez um anúncio de que no ano que vem (2017) ela irá atualizar sua linha de placas de vídeo com a introdução da arquitetura Volta, mais poderosa, com um consumo de energia menor e que todos apostam usar o padrão de memoria HBM2, que falaremos mais para frente nesse post. Qual a melhor forma de chegar ao mercado de consoles e demonstrar o poder de sua próxima linha de placas se não lançando um console poderoso que use a arquitetura Volta?

É preciso lembrar que as primeiras placas de vídeo de cada geração costumam ser lançadas no começo do ano ou em meados de junho ou julho, ou seja, pouco depois do lançamento do Switch, e ainda temos o lançamento de uma próxima placa ainda Pascal para o começo do ano que vem. Se a NVidia demonstrar o poder de sua arquitetura com o console, deixará os consumidores muito mais ansiosos pela compra de suas novas placas, algo como se ela estivesse dizendo “se eu faço isso em um simples console, imagine em uma placa dedicada!”. A arquitetura Volta é muito superior que a arquitetura atual do Tegra X2, também utiliza Pascal (o que atende ao que temos de informação até agora), e permitiria que o Switch pudesse ter mais TFlops (podendo chegar até a 4 teraflops) que o atual PS4 e podendo até mesmo ficar próximo ao PS4 Pro. Se a Nintendo usar esse potencial apenas para processamento de jogos em 1080p, com qualidade superior, elas estará ganhando pontos de vantagem frente aos concorrentes que terão que usar o poder se de seus consoles para 1080p melhorado ou 4k.

Talvez você ache que isso não faça tanto sentido, lembre-se que estamos fazendo uma suposição e uma analise. Por isso, pedimos que entenda o seguinte: O mercado consumidor de placas de vídeo é menor que o de consoles e nem todos os consumidores migram de uma geração para a outra, atualizando suas placas de vídeo.  O mundo hoje tem olhado com antecipação para as novas arquiteturas, esperando que elas finalmente rodem o tão famoso 4k ultra com 60fps ou mais e se a NVidia chegar no mercado de consoles com um poder gigantesco, ela pode usar esse fato para ajudar a convencer as pessoas do poder de sua placa, especialmente se ela rodar no poder esperado. Além disso, a produção da nova arquitetura para o Switch poderia baratear o custo de produção, já que poderia ser produzida em larga escala e não somente para um grupo restrito de pessoas (donos de PCs).

É importante destacar que, se pararmos e lembrarmos do início do ano, tivemos o rumor de que o, na época, NX usaria memória HBM. Essa arquitetura nova da NVidia, como dito mais acima no post, utiliza o padrão HBM2 que é até 8 vezes mais rápido do que o padrão do PS4 (GDDR5) e até 2 vezes mais veloz do que o seu antecessor (HBM). Claro, essa memória é cara, mas há uma intenção do mercado em torná-la popular! Lembre-se: os padrões de memória atuais um dia já foram caríssimos! Além disso, o fato da utilização dos cartuchos pode facilitar a utilização desse padrão em menor quantidade.

os pequenos retangulos são memorias HBM, a maior vantagem dela é que essas memorias podem ser sobrepostas!
os pequenos retangulos são memorias HBM, a maior vantagem dela é que essas memorias podem ser sobrepostas, ou seja, elas podem ser postas uma em cima da outra para economizar espaço!

Do outro lado temos a Nintendo que vem sofrendo com o estigma de console defasado e isso com certa razão. Mudar esse cenário é de interesse da Nintendo, especialmente para atrair novos jogadores, conseguir apoio das thirds e competir em um mercado que esta mudando de uma maneira que é difícil de dizer no que dará.

Um lançamento dessa magnitude é vantajoso para ambas as empresas. É importante lembrar que temos um presidente novo na Nintendo! Presidente este que, neste ano, tem feito coisas antes praticamente impossíveis de qualquer um cogitar (Pokémon no celular, Mario nas olimpíadas, jogos para celulares e até aparição em um evento da Apple). Quem sabe a Nintendo não esteja mudando sua maneira de pensar nesse quesito também?

Como já dissemos algumas vezes nesse post, nosso objetivo não é traçar um rumor nem afirmar que algo ocorrerá. Nosso objetivo é pura e simplesmente a pergunta: e se estivermos errados? Faça parte desse movimento. Deixe nos comentários as suas opiniões.