DestaquesGeralListão

10 Erros que a Nintendo deveria evitar no futuro

Muita gente ansiosa para o lançamento do tão falado NX, mas você já parou para pensar o que a Nintendo não deveria repetir de erros do passado em seu novo console? Para te ajudar, nós separamos alguns erros que a Nintendo cometeu ao longo de sua história e que não deveria cometer novamente.

1) A escolha da mídia do jogo

A Nintendo tem estado atrás em questão de formato de mídia desde o Nintendo 64, quando ela optou por utilizar cartucho em vez de CDs (como fizeram os seus concorrentes à época). No caso do Nintendo 64 não é ruim ter cartucho como mídia para seus jogos, é que se por um lado a Nintendo ganhava em performance e se desvencilhava do problema dos loadings demorados, por outro lado o custo de produção era muito mais alto do que os CDs e o cartucho tinha uma capacidade de armazenamento de dados reduzida em relação aos concorrentes, o que tornava os jogos do N64 menos “reais”.

Esse erro se repetiu com o GameCube que utilizou o mini-DVD enquanto seus concorrentes estavam com o DVD. Essa escolha equivocada impactou nas vendas do GCN da seguinte forma: imagine você na situação de escolha de um videogame que, além de jogos, é capaz de reproduzir seus filmes eliminando um aparelho da sua casa ou outro videogame que não tem essa função extra? Qual você escolheria?

A Nintendo não aprendeu com os erros e lançou o Wii que tinha DVD com seus concorrentes indo para o Blu-ray. Mesmo argumento do parágrafo anterior é válido. E o pior, a Nintendo nem liberar assistir filmes em DVD liberou. Mas no caso específico do Wii a Nintendo conseguiu boas vendas por atingir um público totalmente carente: os jogadores casuais.

Finalmente chegamos no Wii U que utilizou uma mídia proprietária para lançamento em vez do Blu-ray. Os custos de produção e lançamento desses jogos aumentam muito, pois a mídia não é fabricada tão em massa quanto a utilizada pelos concorrentes.

10848283_768159226598468_927091289_n

 

2) Suporte de Third-Parties

A Nintendo por muito tempo tem ignorado a importância das third parties para o sucesso de seus consoles. Os jogadores Nintendistas são fãs dos jogos da Nintendo e a qualidade de seus produtos é inegavelmente excelente. Mas queremos mais! Queremos poder jogar jogos de franquias grandes nos nossos consoles de mesa. E isso é importante inclusive para as vendas! Já pensaram o que seria dos concorrentes caso a Nintendo, além dos exclusivos, tivesse os jogos comuns ao PS4 e XOne? Acho que a Nintendo levaria a vitória fácil nesta briga! Mas, infelizmente, esse é um erro recorrente da Nintendo.

Third Parties

 

3) E3 não presencial

A Nintendo tem se omitido muito do maior evento de games do mundo. Ela não tem mandado representantes para os eventos. Os fãs e consumidores de produtos Nintendo tem que se contentar com um videozinho com muppets para anunciar o lançamento. Ô Nintendo, queremos ver vocês lá. Assim como vimos vocês anunciarem o Wii e foi bacana demais de se ver!

4) Franquias ausentes

Alguns consoles tem ficado carentes de grandes franquias e isso é frustrante. Star Fox fico de fora do Wii; Metroid ficou de fora do N64 e, até agora, do Wii U;  E talvez o Wii U até fique sem um Zelda inédito (até agora não temos nenhuma confirmação de lançamento nem imagens do jogo). Isso em se tratando de um console Nintendo é inadimissível.

5) Hardware defasado

A Nintendo tem que fazer consoles que batam de frente com os concorrentes. Não dá para ser um hardware de geração anterior na geração atual. Isso, inclusive, tem afastado as third-parties e jogadores dos consoles da Big N.

6) Programa de fidelidade

Confesso que esperava mais do My Nintendo quando eles anunciaram o fim do Nintendo Club. Eu esperava um programa de fidelidade nos moldes da Live Gold e do PSN Plus. Mas a Nintendo anunciou o My Nintendo, um Nintendo Club com algumas pequenas diferenças. Nada que fizessem os olhos do jogadores brilharem e nada que fizesse com que eles falassem: “agora sim quero ter um programa de fidelidade desse”. Na minha opinião, esse programa é uma recauchutagem barata do programa anterior.

7) Trava de região

A Nintendo parece, às vezes, que ainda está presa nos anos 80 e 90, pois ela ainda coloca em seus consoles a famigerada trava de regiões. Isso desanima os consumidores de comprar os produtos dela, uma vez que você tem que ficar olhando se o jogo foi fabricado na Europa, Japão ou EUA. Eu como jogador eu quero ver um jogo e jogar, não ficar preocupado por não saber se ele rodará ou não no meu console. Isso é uma besteira que a Nintendo ainda insiste em manter.

8) Multiplayer online

O Multiplayer online da Nintendo deixa muito a desejar! Constantes travamentos fazem, às vezes, a experiência multiplayer deixar a desejar. Uma coisa é louvável na Nintendo: ela não cobra pra você jogar online. Isso porque a mentalidade dela é a de que você já comprou o jogo, porque cobrar pra jogar? Mas quando comparamos a experiência online com as concorrentes, precisamos salientar que a Big N ainda não tem a estrutura necessária para suportar a demanda.

9) O Brasil é um mercado promissor, mas não para a Nintendo

A Sony e a Microsoft já reconheceram o Brasil como um mercado gamer importante. Isso é visto na variedade de jogos localizados em português e nas fábricas abertas no Brasil, tornando os consoles mais “acessíveis” (sabemos que não é tão acessível assim) do que se fossem importados.

Porém a nossa querida gigante japonesa resolveu encerrar relações com a única importadora tupiniquim. Agora temos que recorrer ao mercado paralelo ou lojas que, de alguma forma, ainda tem jogos da Nintendo. Além disso, você não encontra um jogo próprio como Mario Kart, Zelda, Super Mario, entre outros, traduzidos para o português. Infelizmente somos um mercado que não existe para ela!

10) Controles

A Nintendo sempre procura trazer novidades em sua forma de jogar, isso é inegável e é louvável. Porém, ela pensa muito em um controle que ela quer utilizar em seus jogos, mas esquece que tem gamers que querem jogar o jogo com um controle normal. Por isso é importante balancear de forma a atender a todos os públicos. O wiimote e o gamepad agradaram muita gente, mas também desagradaram muitas pessoas.

Outra coisa, no caso do Wii U, a Nintendo não tem gamepad à venda para reposição. Isso é algo que ela precisa rever, afinal, acidentes acontecem e nós não queremos ficar sem o videogame por causa de um controle, não é?

12435638_1156699551017617_1453443878_n

Conclusão: Os erros servem para aprender

Esses erros foram cometidos ao longo de toda a história da Nintendo e não são excepcionais, ou seja, a Big N tem cometido esses erros sistematicamente. Como jogadores, esperamos que ela reveja as atitudes, pois não queremos nada além do sucesso dela e de seus jogos. Ela tendo sucesso, temos certeza que teremos sempre jogos excelentes para jogar.

Você concorda ou discorda de algo escrito acima? Deixe sua opinião, participe desse debate! Um grande abraço e até o próximo post!

Gostou? Então compartilhe!

Tovar

Nintendista desde os 8-bits, pulei somente a geração GameCube (que recuperei com o Wii). Jogo em qualquer plataforma. Um fã de The Legend of Zelda, Donkey Kong, Mario, Mega Man, e de outros grandes nomes da indústria.