GeralReviewsSwitch

[REVIEW] Wargroove 2 – Mais do mesmo, para quem já jogou o anterior

Sinceramente, nunca tive a chance de jogar muito o primeiro Wargroove, mas o comprei no momento em que foi colocado à venda porque simplesmente adoro TRPGs. O segundo Wargroove pegou todo mundo desprevenido, certamente, já que foi lançado sorrateiramente na eShop após um Nintendo Direct. Decidi revisitar o primeiro jogo depois de jogar sua sequência para confirmar as novidades deste, e tenho boas e más notícias.


Ficha Técnica

Título: Wargroove 2

Plataforma: Nintendo Switch

Data de lançamento: 05/10/2023

Tamanho: 1.2 GB

Desenvolvedora: Robotality

Publicadora: Chucklefish

Jogadores: 1-4

Em Português: Sim

Gênero: Estratégia, RPG

Tempo de Jogo (em média): 16 horas

Save na Nuvem: Sim

Classificação: 10 anos

Preço no Lançamento (BR): R$ 59,99

Preço no Lançamento (EUA): US$ 19,99


História com foco em batalhas táticas

Comandantes e suas habilidades únicas

Wargroove 2 tem muita história assim como seu antecessor, e tudo é contado através de cenas 2D envolvendo todo o sprite dos personagens. Há dublagem e uma enorme quantidade de textos e eventos para você passar, mas sou o tipo de pessoa que pula quase tudo depois de um tempo por causa da minha impaciência.

Depois de terminar o prólogo, você pode escolher entre as histórias que seguem diferentes personagens, que também podem ser selecionados como personagens jogáveis ​​no multijogador. Cada personagem – esses chamados Comandantes – possui habilidades únicas que podem ser ativadas de tempos em tempos após serem recarregadas em batalha, o que fornece uma versão mais poderosa delas caso você decida deixá-las para um pouco mais tarde. No mais, o combate é o bom e velho “selecione pra onde você quer andar e ataque um inimigo”, com a adição de algumas unidades diferentes nessa sequência, além de itens equipáveis em personagens comuns.Multiplayer local

A novidade aqui é definitivamente o Modo Conquista que é um Roguelite, que substitui os modos Arcade e Puzzle do jogo anterior. Neste, você vence batalhas consecutivas até morrer, então é mais propenso a ser uma Sobrevivência do que qualquer outra coisa. Mas o modo Survival sempre foi um Rogue-alguma-coisa, se parar para pensar, não?

Quanto ao lado multijogador e Custom Maps, o multijogador local (no mesmo console, para até quatro pessoas) e o modo online estão de volta, enquanto os mapas personalizados estão mais uma vez disponíveis. Podemos criar ou baixar mapas da comunidade e fazer upload dos nossos próprios, o que torna o conteúdo do jogo um tanto infinito – ou até que os servidores sejam desligados ou algo nesse sentido. Os recursos de qualidade de vida também são uma maravilha por aqui, como a capacidade de criar um ponto de verificação no meio da batalha e continuar de onde parou mais tarde.Fases personalizadas

O jogo parece quase perfeito, no entanto, existem alguns aborrecimentos provenientes do título anterior que ainda são vergonhosos para mim. Essas são falhas que podem parecer bobeira, mas elas realmente arrastam as coisas. Depois de selecionar uma área para onde seu personagem não pode ir devido às limitações de movimento, o cursor simplesmente se restaura à sua posição original, obrigando você a fazer o mesmo caminho mais uma vez. Era melhor fazer um barulho negando a ação. Além disso, no modo multiplayer, temos que segurar um botão para iniciar o nosso turno, o que não faz nenhum sentido remoto. Deixe-me apertar um botão e fim!

Mais do mesmo, com poucas novidades

Wargroove 2 é realmente mais do mesmo, tirando sua campanha plural que oferece enredos diferentes, diferentemente do jogo anterior em que tínhamos que jogar a campanha de cada personagem seguindo um caminho único. Aqui temos mais opções de unidades de combate também. Além disso, eu diria que é uma desvantagem remover os modos divertidos e substituí-los por um novo. Se eu fosse os desenvolvedores, teria deixado os dois modos descartados e simplesmente adicionado o de Conquista. Fora isso, algumas falhas do Wargroove ainda permanecem irritantes e são heranças do primeiro, e espero que sejam corrigidas com um patch muito em breve.


Trailer do Jogo


* Esta análise foi feita utilizando uma chave enviada pelos produtores

Gostou? Então compartilhe!

Jason Ming Hong

Gamer desde o 1 ano de idade segundo meus pais. Jogo de tudo, porque o importante pra mim em um jogo é divertir. Gosto de jogos com uma boa história, investimento em gameplay sólido e, se rolar, um co-op de sofá. Também sou UX/UI designer, aquela galera moderninha que faz coisas pensando em quem vai usar. Aliás, agora edito o POWdcast, RÁ!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *