O Switch foi lançado há menos de um ano e já pode ser considerado um lançamento de sucesso em críticas e em vendas, mas para ser considerado um “console de sucesso” ainda há um longo caminho para trilhar, porém agora sem o trunfo de ter toda a empolgação gerada pela espera de um novo console. Ao longo de 2017 a Nintendo trabalhou no lançamento de um console. De agora em diante, trabalhará na consolidação deste console. Até agora foram quinze milhões de unidades vendidas, superando, já em seu primeiro ano, o seu antecessor Wii U em números totais de venda.

Assim como o Will relatou eu um post, eu também era cético com relação ao console, mas tenho [felizmente] queimado a minha língua, dia após dia. Porém, apesar de todo o entusiasmo que tenho para falar do console, consigo perceber que ainda faltam alguns pontos a serem trabalhados e corrigidos. Os pontos que vou destacar aqui são uma perspectiva extremamente pessoal do que eu quero para o console, ok? Dito isto, vamos lá:

Netflix e outros apps de entretenimento

Respeito a opção comercial da Nintendo de lançar o Switch exclusivamente como um console de videogame, mas ele tem a capacidade de ser muito mais do que um simples console. Ele tem a capacidade de ser um videogame com funções de entretenimento integradas. Netflix, Amazon Prime, Hulu, YouTube são funções que fazem falta no console e que poderiam ser implementadas em 2018. Quero que, neste ano, as pessoas vejam vantagem em comprar um Switch, quero que elas vejam que o Switch, além de um videogame, é um entretenimento para toda a família. Acredito que isso aumentaria ainda mais as vendas do console.

Evolução da eShop

É inegável que a eShop melhorou muito do Wii U para o Switch, porém ela ainda está muito simplificada e em certos pontos confusa. Vou citar um exemplo para tentar ilustrar: há algumas semanas eu comprei o Sonic Mania e optei por não baixar naquele momento (para economizar espaço interno). Posteriormente, pesquisei o Sonic Mania na eShop para baixar e não apareceu a opção “fazer download”, a página do jogo apenas informava que o jogo estava “comprado”. Aí descobri que existe uma área exclusiva para você fazer o (re)download dos jogos constantes na sua biblioteca de jogos virtual, porém essa área fica fora do menu principal da loja, escondida dentro do seu perfil, e eu só descobri por causa de um conhecido que me alertou sobre este fato. Um botão “fazer download” na página do próprio jogo não seria difícil de fazer e tornaria muito melhor a usabilidade da eShop.

O sistema de busca ainda é muito simplificado e muitas vezes imprecisos. Comprei o jogo Kamiko, que o Jow indicou em um dos POWdcasts, e para achá-lo na eshop não foi fácil. Eu não lembrava o nome inteiro do jogo, sabia apenas que começava com “Ka”. O motor de busca da loja online não permite pesquisar por uma ou duas letras de um nome, apenas por três ou mais. Outras lojas online permitem esse filtro mais detalhado.

Um app para celular onde eu pudesse realizar minhas compras e colocar para baixar direto no console também não seria de todo ruim. Apesar de a ausência desse recurso ter salvado minha carteira várias vezes da compra por impulso. Tenho certeza que, assim como eu, essa é a realidade de muita gente e analisando mercadologicamente falando são várias e várias vendas que a Nintendo deixa de realizar todos os dias.

Mais Jogos

A quantidade de jogos bons lançados para o Switch impressiona muito. Foram dois fortes candidatos ao GOTY lançados pela Nintendo, além de nova IP (Arms), ports (Mario Kart 8) e continuação de IPs anteriores (Splatoon 2). Em 2018 quero que a Nintendo continue com o excelente trabalho nos seus títulos (o bom trabalho da Nintendo é de praxe), mas também espero um maior suporte das thirdies, que este ano se limitou praticamente à Bethesda, já que outras empresas forneceram suporte com jogos inacabados ou apenas com jogos antigos.

Espero cada vez mais indies também, já que são excelentes jogos, com preços bastantes acessíveis.

Os jogos que estou muito ansioso para jogar este ano são: No More Heroes e Octopath Traveller.

Virtual Console, My Nintendo e customização

Um virtual console seria muito bem vindo no Switch. Espero que tenhamos jogos de outras plataformas mais recentes como o Wii.

Nove meses se passaram e a Nintendo ainda não integrou o My Nintendo com o Nintendo Switch. Os jogos comprados estão sendo computados para o programa de fidelidade da Big N, mas não há recompensas disponíveis. Além disso, gostaria de poder customizar o layout do sistema operacional do meu console com temas exclusivos também.

E você?

E você? O que espera para o ano de 2018? Deixe suas opiniões nos comentários.

Até o próximo post.