Se existe uma verdade que é ignorada pela Nintendo com certa maestria e comprada por seus fãs é que de toda a história tem um fim. Como jogadores, sabemos que muitas vezes chega um momento em que não se é mais possível continuar com um jogo devido sua história, afinal, no geral eles são feitos com um começo e um fim que caso não sejam cumpridos dão ao jogador a ideia de que ele está sendo “forçado” a engolir uma continuação forçada.

A Nintendo tem se livrado disso com alguns truques simples, o primeiro deles, usado nos jogos do Mario, é usar uma história que serve apenas como desculpa para o jogo. Ninguém realmente se importa em como e porquê o Bowser sequestrou a Peach ou algo parecido, tudo o que sabemos é que queremos explorar os mundos que esse jogo irá nos oferecer e ver o Bowser se dar mal no final, todos ficarem felizes para sempre e o Mario continuar solteiro.

O segundo truque é o usado nos jogos da série Zelda! Você sabe que Link, Zelda e Ganondorf irão ressurgir infinitamente para continuarem seu duelo. Cada jogo trás uma historia única que é baseada exatamente no mesmo conceito, e de alguma forma ela nos fez querer isso, como jogadores nós ficamos ansiosos para ver como Link irá enfrentar a nova crise criada por Ganondorf ou algum lacaio infeliz controlado por ele, e ficamos ansiosos para ver o mundo que essa “nova historia” irá nos proporcionar.

O trio parada dura sempre retorna...
O trio parada dura sempre retorna…

Diferente da Nintendo as outras empresas não costumam conseguir repetir o feito e inevitavelmente são obrigadas a abandonaram a serie, darem um tempo nela ou recria-la por meio de um reboot. Recontar a mesma historia por meio de uma ótima nova, mantendo apenas sua essência e alguns personagens costuma dar certo se bem feito. os fãs no geral não se importam com isso, pois veem no reboot a chance de experimentar novas ideias em sua franquia sem prejudicar a história que já havia sido construída. Castlevania Lord of Shadows foi um excelente exemplo disso (especialmente quando desconsideramos a versão portátil), por mais que a mecânica houvesse mudado, eles acharam um jeito de contar uma nova historia dentro do universo de Castlevania e o fizeram com maestria.

Então voltamos à pergunta: a Nintendo deveria fazer isso?

O caso é complicado quando pensamos que muitos dos jogos dela não precisam disso, Zelda é um dos poucos que realmente possui uma história complexa e ele não precisa recomeçar do zero, porém existem algumas franquias quase abandonadas que poderiam ressurgir com força por meio de um reboot, como a serie Metroid.

É serio, reboot já!!

Talvez a melhor maneira de fazer Metroid retornar com força e até mesmo conquistar novos fãs seria recriando a série do princípio. Como fãs de longa data tenho certeza de que estaríamos dispostos a ver um novo começo para Samus, um novo conflito e as mudanças que ele traria na série mantendo sua essência de exploração espacial. Novos jogadores também estariam mais dispostos a experimentar o jogo, uma vez que não precisariam conhecer a história e os jogos antecessores para entender completamente o jogo. EarthBound, jogo do carismatico Ness  também caiu no esquecimento e seus personagens aparecem apenas na serie Smash Bros, também poderia ressurgir como um reboot, colocando Ness e sua turma e uma nova aventura que os reapresentariam ao mundo.

Ola, meu nome é Ness e estou no limbo do esquecimento. Se você esta lendo essa mensagem, por favor me salve!! Eu preciso sair daqui, é escuro e o Demogorgon esta tentando me matar.
Ola, meu nome é Ness e estou no limbo do esquecimento. Se você esta lendo essa mensagem, por favor me salve!! Eu preciso sair daqui, é escuro e o Demogorgon esta tentando me matar.

Visto que a Nintendo está interessada em mudar seus jogos e conquistar novos fãs como visto no novo Zelda, esse seria o momento perfeito para que ela refizesse algumas de suas franquias!